Começou em maio reforma das unidades da Usina Rasgão

Trabalho começou pela unidade 1; melhorias refletirão na confiabilidade e disponibilidade da estrutura

 

A reforma das duas unidades geradoras da Usina Rasgão iniciou no mês de maio. A operação começou pela unidade 2 e, quando ela voltar, será a vez da unidade 1. A obra inclui o fornecimento e instalação de dois geradores completos, sistema digital de supervisão, controle e medição, sistemas auxiliares elétricos e sistema de água para resfriamento dos mancais. A previsão de término é agosto de 2025.

 

As melhorias irão refletir em três pontos principais: maior confiabilidade e disponibilidade das unidades, manutenção simplificada e segurança no controle e fornecimento de energia. No quadro no final do texto, é possível conferir os detalhes.

 

Apesar de as unidades terem recebido alguns investimentos ao longo dos anos para melhorias tecnológicas e de confiabilidade, elas são originais da década de 1920 e, por isso, os sistemas e equipamentos estão obsoletos e em final de vida útil.

 

“As ações visam aumentar a confiabilidade e segurança no controle e fornecimento de energia, extensão da vida útil das unidades e redução de indisponibilidades forçadas”, explica o engenheiro Gustavo Gonçalves Mollica, do departamento de Engenharia da EMAE.

 

Gustavo conta que a Engenharia tem feito a gestão do contrato e participado ativamente das etapas de projeto e inspeção dos novos equipamentos. As equipes de Manutenção e Operação da EMAE também estão envolvidas com o trabalho.

 

A empresa contratada para realizar o serviço é a Hidroenergia Engenharia e Automação Ltda. e o valor do contrato é de R$ 89,9 milhões.

 

O que esse contrato de reforma contempla?

 

Estão incluídas a atualização da documentação técnica, serviços, materiais e equipamentos para a modernização das unidades, incluindo geradores síncronos completos, sistemas de corrente alternada e contínua, auxiliares elétricos, Sistema Digital de Supervisão e Controle – SDSC, sistema de excitação, reguladores de tensão e velocidade, sistemas para resfriamento dos mancais do gerador, conjuntos de componentes para recuperação das turbinas, reparo civil na caixa espiral e adequações civis.

 


Melhorias

 

– Confiabilidade e disponibilidade: a instalação de novos equipamentos e sistemas modernos, como o Sistema Digital de Supervisão e Controle (SDSC) e os sistemas auxiliares elétricos, aumentará a confiabilidade e a disponibilidade das unidades geradoras. Isso reduzirá o tempo de inatividade não planejado e garantirá que a usina possa operar de forma mais consistente e confiável.

 

– Manutenção simplificada: com a introdução de novos sistemas e equipamentos mais modernos, a manutenção das unidades geradoras se torna mais ágil e simplificada. Os novos componentes exigem menos manutenção e têm ciclos de vida mais longos.

 

– Controle avançado: novo sistema de controle e supervisão digital oferecerá recursos avançados de monitoramento e controle das operações da usina. Isso permitirá uma gestão mais eficiente e precisa das atividades das unidades, facilitando a otimização do desempenho e a resposta rápida a qualquer evento ou condições operacionais adversas.

 


 

Abril de 2024.

 

Facebook
YouTube
LinkedIn
Instagram