All for Joomla All for Webmasters

EMAE inicia implantação do Plano de Ação de Emergência de barragens

Estruturas que serão trabalhadas estão localizadas no Médio Tietê, Alto da Serra e Região Metropolitana

A EMAE deu início à implantação dos Planos de Ação de Emergência (PAE) das suas estruturas (barragens, diques e sangradouros) localizadas no Médio Tietê e nos reservatórios Billings e Guarapiranga, na Região Metropolitana de São Paulo, e Rio das Pedras, em São Bernardo do Campo e Cubatão. A empresa contratada para a execução do projeto, por meio de processo licitatório, é a Mineral Engenharia e Meio Ambiente.

 

Neste mês, representantes da empresa participaram das duas primeiras de uma série de reuniões que serão realizadas com prefeituras e Defesas Civis dos municípios localizados nas áreas de influência das suas barragens: uma em Pirapora do Bom Jesus, onde está a barragem e a usina de Pirapora; e a segunda em Santana do Parnaíba, localização da barragem Edgar de Souza.

 

O PAE prevê o planejamento de procedimentos que devem ser cumpridos pela EMAE em caso de situações de emergência e a identificação dos agentes que devem ser notificados em possíveis ocorrências na chamada Zona de Autossalvamento (ZAS), localizada em um raio de 10 quilômetros a jusante das barragens. As premissas atendem a Política Nacional de Segurança de Barragens (Lei Federal 12.334/2010, em conformidade com a Resolução Normativa ANEEL N° 696/2015). O processo tem o objetivo de minimizar ao máximo possíveis danos na região à jusante.

 

O projeto abrange diversas ações, como a realização de treinamentos e simulados com os colaboradores da empresa e a população da ZAS, o estabelecimento de pontos de encontro e rotas de fuga, a instalação de sistema de comunicação e alerta, como avisos sonoros e placas indicativas, plano de evacuação e o cadastramento da população vulnerável na ZAS. Para isso, é essencial a colaboração dos habitantes dessas zonas, que receberão a visita de uma equipe credenciada de pesquisadores da empresa contratada pela EMAE e deverão responder a perguntas como número de moradores da unidade habitacional, idade, necessidades específicas de mobilidade, presença de animais domésticos etc. Os dados serão formatados e utilizados na implantação do PAE.

 

A implantação é o passo seguinte à entrega dos PAEs – documento que prevê uma série de procedimentos em caso de acidentes em barragens –, feita em 2019 pela EMAE às prefeituras e Defesas Civis das cidades que estão na área de influência dos reservatórios e barragens operadas pela Empresa. Na época, foram entregues 19 planos para atender às exigências da Política Nacional de Segurança de Barragens.

 

É importante ressaltar que esse é mais um procedimento adotado pela EMAE no âmbito da segurança de barragens. Há décadas, desde que as suas usinas foram construídas, a Empresa adota as melhores práticas de engenharia para a manutenção, visando a segurança das suas estruturas, como inspeção regular de segurança, leitura de instrumentação e análise dos dados. Todos os empreendimentos possuem, ainda, uma equipe de profissionais especialistas em segurança de barragem que supervisionam sua condição estrutural e operativa. As barragens mantêm operadores em regime de trabalho ininterrupto e não possuem qualquer tipo de restrição operacional.

 

Para mais informações sobre o trabalho da EMAE na área de segurança de barragens, acesse o site da empresa: http://emae.com.br/segurancabarragens/

 

Junho de 2022.